DigLitWeb: Digital Literature Web

E-C


História do Livro: Do Manuscrito ao Digital

Ano Lectivo 2009-2010

Licenciatura em Ciências da Informação

Docentes: Rosário Morujão e Manuel Portela

 

Este programa consiste numa introdução à história do livro. Depois de uma breve problematização relativa à natureza do livro e ao estudo do livro, centraremos a atenção nas transfigurações tecnológicas e culturais do livro. Veremos, em particular, a relação entre tecnologias de reprodução e formas de organização social, procurando apreender a função do livro em processos históricos específicos. Trata-se de desenvolver um conhecimento histórico da materialidade bibliográfica que permita compreender também a interdisciplinaridade dos estudos actuais do livro. No final do semestre, os(as) alunos(as) deverão ser capazes de: a) caracterizar as várias dimensões do livro como artefacto cultural; b) descrever as principais transformações do livro num horizonte temporal que inclui a reprodução manuscrita na Antiguidade e na Idade Média, a reprodução impressa a partir do século XV e a actual reprodução e distribuição digital através das redes de computadores; c) problematizar as relações entre tecnologia, práticas culturais e mudanças sociais a partir da história do livro.
A disciplina funciona em regime de avaliação contínua. Além de um teste (50%), a avaliação inclui os dois exercícios seguintes: a) descrição bibliográfica de um livro antigo (anterior a 1800) a partir de um repositório digital (25%); b) criação de uma maqueta de um livro de artista, acompanhada da respectiva sinopse (25%). NB: Os sumários podem ser consultados na plataforma Web-On-Campus (WOC), no endereço https://woc.uc.pt/fluc/

1. Introdução à história do livro
1.1 O que é o livro? As múltiplas dimensões do livro
1.1.1. Como artefacto material
1.1.2. Como estrutura conceptual
1.1.3. Como tecnologia de comunicação
1.1.4. Como mercadoria
1.1.5. Como lugar de leitura
1.2. O que é o estudo do livro? As múltiplas dimensões da historiografia do livro
1.2.1. A tecnologia e a economia do livro: o estudo da produção e da distribuição
1.2.2. Os agentes e os circuitos do livro: autores, copistas, iluminadores, editores, tipógrafos, encadernadores, livreiros, leitores, programadores, designers, etc.
1.2.3. As instituições do livro: scriptoria, tipografias, escolas, universidades, livrarias, bibliotecas, etc.
1.2.4. A sociologia do livro: o estudo da autoria e da leitura; formas, géneros e práticas
1.2.5. A história do livro como história social e cultural
1.3. Três momentos na história do livro
1.3.1. Os manuscritos
1.3.2. O livro impresso
1.3.3. O livro digital

2. Os manuscritos
2.1. Livros e bibliotecas na Antiguidade
2.2. O volumen e o codex
2.2.1. Materiais suportes de escrita: papiro, pergaminho e papel
2.3. O livro no milénio medieval
2.3.1. Génese e produção dos codices
2.3.1.1 Scriptoria e bibliotecas
2.3.1.2. O caso português
2. 4. O livro e as universidades europeias
2. 5. A laicização do livro

3. O livro impresso
3.1. Os primitivos incunábulos
3.2. A imprensa e o Humanismo
3.3. A situação portuguesa
3.4. O livro nos séculos XVII e XVIII
3.4.1. Regulação comercial e controlo político
3.4.2. Imprensa e transformações culturais (protestantismo, revolução científica, nacionalismo)
3.5. A industrialização da imprensa nos sécs. XIX e XX
3.5.1. A expansão da leitura
3.6. As múltiplas formas do livro: do livro de bolso ao livro de artista
3.6.1. O livro como objecto e como conceito

4. O livro digital
4.1. Remediação e transformação do códice
4.1.1. A transposição de formas e géneros bibliográficos para o meio digital
4.1.2. O hipertexto electrónico como remediação de estruturas bibliográficas
4.1.3. O livro digital como objecto inter- e multimédia
4.2. Características da textualidade digital
4.2.1. Iconicidade e topograficalidade
4.2.2. Cinetismo e temporalidade
4.2.3. Associação e hierarquia no hipertexto electrónico
4.2.4. A distribuição em rede
4.3. O espaço de escrita e de leitura electrónico
4.3.1. O pixel como unidade mínima e o écran como mapa
4.3.2. A hiperligação como estrutura meta-informativa
4.3.3. A reinscrição como propriedade da página electrónica
4.3.4. Alterações na ecologia da autoria, da edição e da leitura
4.4. O futuro do livro

 

 

History of the Book: From Manuscripts to Digital Texts

This course is an introduction to the history of the book. It begins by a brief examination of both the nature of books and the different approaches to the study of books. We then focus on the technological and cultural transformations of the book. We will see, in particular, the relationship between reproduction technologies and forms of social organization, in order to understand the function of the book in specific historical processes. This course also expects students to develop their historical knowledge of the cultural and bibliographic materiality of books with a view to understanding the interdisciplinary nature of contemporary studies of the book. By the end of the semester, students should be able: a) to describe various dimensions of books as material and cultural artefacts; b) to describe historical changes in the technologies of the book, including manuscript reproduction in the classical and medieval periods, print reproduction after the fifteenth century, and the current digital reproduction and distribution through computer networks; c) to understand the complexities of the relationship between technologies, cultural practices, and social changes by looking at the history of the book.
Assessment will be continuous. In addition to a test (50%), assessment will be based on the following assignments: a) a bibliographic description of a rare book by using a digital facsimile (25%); b) creation and description of a project for an artist's book (25%). NB: Class summaries are published on the Web-On-Campus (WOC) platform, URL https://woc.uc.pt/fluc/


1. Introduction to the history of the book
1.1 What is a book? The multiple dimensions of books
1.1.1. As material artefact
1.1.2. As conceptual framework
1.1.3. As communication technology
1.1.4. As commodity
1.1.5. As reading space
1.2. What is the study of the book? The multiple dimensions of the historiography of the book
1.2.1. Technologies and economics of the book: the study of production and distribution
1.2.2. Agents and circuits of the book: authors, copyists, illuminators, publishers, printers, bookbinders, booksellers, readers, programmers, designers, etc.
1.2.3. Institutions of the book: scriptoria, printing shops, schools, universities, bookstores, libraries, etc.
1.2.4. Sociology of the book: the study of authorship and reading; forms, genres, and social practices
1.2.5. The history of the book as social and cultural history
1.3. Three moments in the history of the book
1.3.1. Manuscripts
1.3.2. Printed books
1.3.3. Digital books


2. Manuscripts
2.1. Books and libraries in Antiquity
2.2. The volumen and the codex
2.2.1. Materials for writing: papyrus, parchment, and paper
2.3. Books in medieval times
2.3.1. Origins and production of codexes
2.3.1.1 Scriptoria and libraries
2.3.1.2. The Portuguese case
2.4. Books and European universities
2.5. The secularization of books


3. Printed books
3.1. Primitive Incunabula
3.2. The press and Humanism
3.3. The Portuguese situation
3.4. Books in the seventeenth and eighteenth centuries
3.4.1. Commercial regulation and political control
3.4.2. The printing press and cultural transformations (Protestantism, scientific revolution, nationalism)
3.5. The industrialization of the press in the nineteenth and twentieth centuries
3.5.1. The expansion of reading
3.5.2. Copyright and author’s rights
3.6. The multiple forms of the book: from pocket books to artists’ books

3.6.1 The book as object and the book as concept

4. Digital books
4.1. The remediation of the codex
4.1.1. Migration of bibliographic forms and genres into digital media
4.1.2. Electronic hypertext as remediation of bibliographic structures
4.1.3. Digital books as intermedia and multimedia objects
4.2. Features of digital textuality
4.2.1. Iconicity and topographicality
4.2.2. The motion of signs and temporality
4.2.3. Association and hierarchy in electronic hypertext
4.2.4. Networked distribution
4.3. The space for electronic writing and reading
4.3.1. The pixel as a unit and the screen as a map
4.3.2. Link structures as meta-information
4.3.3. Re-inscription as a property of the electronic page
4.3.4. Changes in the ecology of authorship, publishing, and reading
4.4. The future of the book

 

Bibliografia
Alturo i Perucho, Jesus (2003). Historia del llibre manuscrit a Catalunya, Barcelona: Generalitat de Catalunya.

Anselmo, Artur (1981). Origens da Imprensa em Portugal, Lisboa: Imprensa Nacional.

Anselmo, Artur (2002). Livros e Mentalidades, Lisboa: Guimarães Editores.

Bebiano, Rui (1999). ‘A Biblioteca Errante: Itinerários da Leitura na Era Digital’, in Revista de História das Ideias, Vol. 20, pp. 471-494.

Bolter, Jay David (2001). Writing Space: Computers, Hypertext, and the Remediation of Print, Mahwah, New Jersey, Lawrence ErlBaum Associates Publishers [nova edição revista; 1ª ed. 1991].

Catálogo dos Códices da Livraria de Mão do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra (Coord. Aires A. NASCIMENTO e Francisco MEIRINHOS), Porto, 1997.

Chartier, Roger (1997). A Ordem dos Livros, Trad. Leonor Graça. Lisboa: Vega [1ª ed. francesa, 1994].

Dain, Alphonse (1975). Les manuscrits, Paris, Les Belles-Lettres [3ª edição].

Darnton, Robert (2009). “Google & the Future of Books”, in The New York Review of Books, Volume 56, Number 2, February 12, 2009, pp. 9-11. http://www.nybooks.com/articles/22281 (consulta: 09 Fev 2009)

Eco, Umberto (2003). ‘Vegetal and Mineral Memory: The future of books’, in Al-Ahram Weekly, Issue No. 665, 20-26 November 2003, disponível em linha em http://weekly.ahram.org.eg/2003/665/bo3.htm (consulta: 01-09-2008)

Eisenstein, Elizabeth L. (1993). The Printing Press as an Agent of Change: Communications and Cultural Transformations in Early-Modern Europe. Cambridge University Press [1ª ed. 1979]. [Nota: desta obra existem traduções em castelhano e em francês, mas não em português.]

Faria, Maria Isabel e Maria da Graça Pericão (2008). Dicionário do Livro: Da Escrita ao Livro Electrónico, Coimbra: Almedina.

Finkelstein, David & Alistair McCleery, orgs. (2002). The Book History Reader, London: Routledge.

Furtado, José Afonso (2007). O Papel e o Pixel. Do Impresso ao Digital: Continuidades e Transformações. Lisboa: Ariadne Editora.

Glenisson, Jean (dir.) (1988). Le livre au Moyen Âge.Turnhout: Brepols.

Gomes, Saul António (2007). In limine conscriptionis. Documentos, chancelaria e cultura no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra (Séculos XII a XIV), Viseu, Palimage.

Iluminura (A) em Portugal. Identidade e Influências (Dir. Maria Adelaide Miranda), Lisboa, 1999.

(*) Labarre, Albert (2005). História do Livro, Lisboa, Livros Horizonte, 2005.

Lemaire, J. (1989). Introduction à la Codicologie, Paris.

(*) Manguel, Alberto (1998). Uma História da Leitura, Trad. Ana Saldanha, Lisboa: Presença, 1998 [1ª ed. inglesa 1996].

Martin, Henri-Jean & Lucien Febvre (2000). O Aparecimento do Livro, Trad. de Henrique Tavares e Castro, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.[1ª edição francesa, 1958].

McLuhan, Marshall (1971): The Gutenberg Galaxy: The Making of Typographic Man. London: Routldege and Kegan Paul [1ª ed. 1962].

McMurtrie, Douglas C. (1982). O Livro. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2ª ed.

Petrucci, Armando (1995). Writers and Readers in Medieval Italy. Studies in the History of Written Culture, London: Yale University Press.

Portela, Manuel (2003). ‘Hipertexto como Metalivro’, in Ciberscópio, <http://www.ciberscopio.net/artigos/tema2/clit_05.html>  (consulta: 01-09-2008)

Portela, Manuel (2005).Essa Estória da História Livro’ in Biblos, 2ª série, Vol.III, pp. 85-112.

Portela, Manuel (2005-2008). DigLitWeb: Digital Literature Web, sítio web no endereço http://www.ci.uc.pt/diglit

Ramada Curto, Diogo (dir.) (2003). Bibliografia da História do Livro em Portugal. Lisboa: Biblioteca Nacional.

Ribeiro, Maria Manuela Tavares (1999). ‘Livros e Leituras no Século XIX’, in Revista de História das Ideias, Vol. 20: 187-227.

Ruiz Garcia, Elisa (2002). Manual de Codicologia, Madrid: Fundacion German Sanchez Ruipérez [2ª edição].

Santos, Maria José Azevedo (1994). Da Visigótica à Carolina. A Escrita em Portugal de 882 a 1172. Aspectos Técnicos e Culturais, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

(*) Obras introdutórias de leitura obrigatória.

 

História do Livro em Portugal

GILL (Grupo Interdisciplinar do Livro e da Leitura) (1996), "350 Ttítulos para a História do Livro e da Leitura em Portugal", Centro de História da Cultura, Universidade Nova de Lisboa.

 

© Manuel Portela, Saul António Gomes e Rosário Morujão [Setembro 2008, rev. Setembro 2009]

mportela@fl.uc.pt

 


 

 

Valid CSS!| Valid XHTML 1.0 Transitional| Site Map | Contact | Updated 11 Feb 2013 | ©2005-2013 Manuel Portela