Novos IngreDiEntes Alimentares de Plantas MarítimaS – IDEAS4life

Os fitoquímicos constituem um vasto grupo de compostos de origem natural, presentes na dieta humana em quantidades apreciáveis nas frutas e vegetais, apresentando um extenso leque de funções biológicas.
A costa litoral portuguesa é rica em muitas plantas halófitas e marítimas, cujas características físico-químicas e biológicas, estão ainda pouco exploradas ao nível científico.
O projecto proposto visa preencher esta lacuna, através do estudo do perfil biológico, de plantas halófitas e marítimas, frescas e/ou desidratadas, de extratos provenientes destas plantas e dos seus óleos essenciais, permitindo a valorização destes recursos naturais endógenos, através do desenvolvimento de novos ingredientes alimentares funcionais.
Relativamente à colheita e à obtenção de extractos aquosos e de óleos essenciais, será dado especial ênfase a:
(i) plantas halófitas obtidas de marinhas de sal situadas na zona costeira de Portugal Central – S. ramosissima, S. perennis, H. portucaloides, I. erithmoides, A. macrostachyum Moric; e à (ii) planta marítima endógena Corema album. Estas plantas serão recolhidas no seu habitat natural, propagadas in vitro e em ambiente natural, sob condições controladas, para posterior estudo do impacto do modo de cultura na expressão da sua atividade biológica e na acumulação de sal. Os extractos/óleos essenciais que apresentarem características promissoras relativamente à sua actividade biológica serão selecionados e incorporados (diretamente ou encapsulados) em matrizes alimentares (pão e bolachas). No caso particular das plantas halófitas, a sua incorporação em matrizes alimentares funcionará com substituto de sal, com previsíveis benefícios para a saúde humana. Este mecanismo é explicado pelo baixo conteúdo de sódio e elevado conteúdo de minerais fito-orgânicos, potássio e magnésio, que facilitam a excreção do sódio acumulado no corpo.
O presente trabalho de investigação foi planeado de forma multidisciplinar e interativa, conjugando técnicas físico-químicas para adquirir um conhecimento sistemático dos sistemas em foco: GC-MS, HPLC e LC-MS/MS para caracterização dos extratos vegetais e óleos essenciais, espectroscopia vibracional (infravermelho (ATR-FTIR), Raman (convencional, micro-Raman); ensaios para medição da capacidade antioxidante e anti-inflamatória assim como experiências in vitro para avaliação da proliferação celular. As matrizes alimentares enriquecidas com os extractos de plantas serão avaliadas sob ponto de vista nutricional, físico e sensorial.
O objetivo final do trabalho consiste na valorização dos recursos marinhos endógenos através do desenvolvimento de novos alimentos funcionais (pão e bolachas) enriquecidos com componentes bioativos, obtidos a partir das plantas halófitas e das bagas de camarinha. Estes componentes serão adicionados na forma de pó das plantas desidratadas, extratos aquosos e óleos essenciais e extratos encapsulados em nanopartículas de ciclodextrina.

Estado
Financed
Período
2018 a 2021
Financiamento
239.355,55 €
Código do Projecto
C493053224-00089325
Entidade Financiadora
Portuguese Foundation for Science and Technology (FCT), Portugal e C2020, Portugal

Membros
Aida Maria Gonçalves Moreira da Silva (Investigador Principal)
Maria João Mendes Cardoso Barroca Dias
Luís Alberto Esteves Batista de Carvalho
Maria Paula Matos Marques Catarro
Inês Dias Lamego
Ana Paula Gomes Fonseca
Anabela Cristina da Silva Naret Moreira Raymundo
André Filipe Chagas Ferreira Caeiro
Armindo Jorge Alves de Melo
Carmen Diniz Pereira
Edgar Augusto Costa Pinto
Filipe António Miranda de Melo
Isabel Maria Nunes de Sousa
Isabel Maria Pinto Leite Viegas Oliveira Ferreira
Joana Beatriz Alves da Silva Pinheiro de Sousa
João Filipe da Silva Martins
Jorge Manuel Pataca Leal Canhoto
Maria Nazaré Coelho Marques Pinheiro
Raquel de Pinho Ferreira Guiné
Sandra Maria Dias dos Santos
Sandra Isabel Marques Correia
Sandrine Katy Matias da Ressurreição